domingo, 2 de outubro de 2011

 

O Pai Nosso dos Templários

SENHOR, perdoa-me se não rezo a oração que teu filho nos ensinou, pois julgo-me indigno de tão bela mensagem. Refleti sobre esta oração e cheguei às seguintes conclusões:

Para dizer o PAI NOSSO, antes devo considerar todos os homens, independentemente de sua cor, raça, religião, posição social ou política, como meus irmãos, pois eles também são teus filhos; devo amar e proteger a natureza e os animais, pois se tu és meu pai, também és meu criador, e quem criou a mim, também criou a natureza.

Para dizer QUE ESTAIS NO CÉU, devo antes fazer uma profunda análise em minha consciência, procurando lembrar-me de quantas vezes te julguei como um celestial pai, pois, na realidade, sempre vivi me preocupando com coisas materiais.

Para dizer SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME, devo antes verificar se não cometi sortilégios ao adorar outros deuses até acima de ti.

Para dizer VENHA À NÓS O VOSSO REINO, devo antes examinar minha consciência e procurar saber se não digo isto apenas por egoísmo, querendo de ti tudo, sem nada dar em troca.

Para dizer SEJA FEITA A VOSSA VONTADE, devo antes buscar meu verdadeiro Ser e deixar de ser um falso Cristão, pois a tua vontade é a união fraternal de todos os seres que criaste.

Para dizer ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU, devo antes deixar de ser mundano e me livrar dos desenfreados prazeres, das orgias, do orgulho e do egoísmo.

Para dizer O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DAI HOJE, devo antes repartir o pão que me destes com os meus irmãos mais carentes e necessitados, pois é dando que se recebe; é amando que se é amado.

Para dizer PERDOAI AS NOSSAS OFENSAS, ASSIM COMO TEMOS PERDOADO À QUEM NOS TEM OFENDIDO, devo antes verificar se alguma vez tornei a estender a minha mão aquele que me traiu; se alimentei àquele que me tirou o pão; se dei esperanças e acalentei àquele que me fez chorar; pois só assim terei perdoado àquele que me ofendeu.

Para dizer E NÃO NOS DEIXAI CAIR EM TENTAÇÃO, MAS LIVRA-NOS DO MAL, devo antes deixar limpo o foco de meus pensamentos; amparar a mão estendida; socorrer o pedido de aflição; alimentar a boca faminta; iluminar os cegos e amparar os aleijados, ajudando a construção de um mundo melhor.

E final mente, para dizer AMÉM, deverei fazer tudo isso agradecendo ao meu Criador, cada segundo de minha vida, como a maior dádiva que poderia receber. No entanto Senhor, embora procure assim proceder, ainda não me julgo suficientemente forte, no intuito de tudo isto te prometer e cumprir. Perdoa-me, Senhor meu Pai, porém minha perfeição a tanto ainda não chegou
.

domingo, 18 de setembro de 2011

Ser vida...


"Às vezes penso que se fosse uma magnólia quereria ser uma laranjeira, se fosse uma águia quereria ser um cavalo ou se fosse um quadro quereria ser uma fotografia. Esqueço-me que devo ser o que sou. Pela evidência de ser o único que tenho e posso ser e, porque, só quando gostar disso é que posso tocar a felicidade e passá-la. Fico a pensar que perdemos demasiado tempo em querer dar laranjas, em galopar velozmente ou em ser o flash de um instante supremo.Quando, na verdade, o que podemos fazer é chegar a dar muitas e belas flores, voar cada vez melhor ou tornarmo-nos até num Rembrandt. Cada qual deve acabar por pegar na própria vida nos braços e beijá-la". Arthur Miller

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Passado um ano...


Passado um ano da morte do meu pai ainda me lembro da dor que  senti quando fui ao hospital buscar as coisas dele. Senti-me perdida, tinha acabado de ficar órfã (minha mãe já tinha falecido) é como se já não tivesse ninguém capaz de me proteger ... as lágrimas correram dos meus olhos... uma enfermeira que acompanhou os seus últimos momentos dirigiu-se a mim e disse: "morreu tranquilamente, passou muito bem a noite e estava bem pela manhã enquanto passávamos a ronda... faleceu. durante o dia de ontem pediu-nos se lhe conseguíamos arranjar um carregador para o telemóvel". (Tentei ligar-lhe várias vezes, mas sem conseguir. Talvez esta tivesse sido a oportunidade de dizermos várias coisas que nunca mais poderão ser ditas...). Agradeci os cuidados que tiveram com ele, entregaram-me um saco com as suas coisas. Comecei a andar pelo corredor e dirigi-me às escadas... não fui capaz de as descer, sentei-me num banco, abri o saco e tirei de lá de dentro a sua carteira na esperança de lá encontrar provas de que me amava...não existiam, chorei ainda mais e passado aquilo que me pareceu um eternidade, despedi-me do último local que foi a morada de meu pai.A dor não ficou lá, pois até hoje não sei o quanto o amei e o quanto fui amada por ele. Foi um  pai  bastante ausente...mas não sinto dor por isso, apenas porque penso que o nosso amor não foi capaz de florescer. Espero do mais íntimo de mim mesma que tenha encontrado a paz e a felicidade. Até sempre:') 

terça-feira, 5 de julho de 2011

Um Mundo de Insensatez....



Atrevo-me a dizer que o mundo enlouqueceu...ou será que este mundo é normal e eu é que não fui capaz de acompanhar os seus avanços? E como não há duas sem três eu e o mundo não vibramos na mesma sintonia. Esta sim parece-me a hipótese mais correcta e talvez a mais sensata.

Este maravilhoso mundo está povoado por insensatos, pois parece que ninguém quer ver o óbvio, um pouco por todo o mundo é cada um por si, com se o ser humano se bastasse a si mesmo e não tivesse uma necessidade intrínseca do Outro. É o Outro que dá sentido ao que sou e ao que tenho... como posso não tê-lo em conta, como posso passar ao lado de quem tem fome, de quem sofre, de quem é mutilado no corpo e na alma, de quem de mãos estendidas e de olhar triste me pede ajuda. Como sou capaz de ignorar todos estes apelos diários? Estou cega para o mundo e por isso sou capaz de deitar a minha cabeça na almofada macia e dormir tranquilamente... Que dera que assim fosse, talvez fosse mais "Feliz", pois aprendi que a felicidade é proporcional ao nosso grau de estupidez... Pois é preciso ser-se muito estúpido para não perceber que estamos a destruir a Humanidade de cada ser humano de cada vez que o reduzimos a um nada no meio da imensa multidão com que nos cruzamos diariamente. Insensato mundo volta-te para ti e vê o quanto és feito de fraqueza, miséria e sofrimento...

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Sons e Tranquilidade...

video

Há músicas que têm o dom de nos tranquilizar e nos proporcionar momento de alegria e paz... de nos fazer acreditar que tudo é belo e simples. Como são bons estes presentes <3

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Dor que dilacera...


A dor esse tormento que nos dilacera por inteiro... e quando a dor já não cabe mais dentro de nós e temos de a retirar? Como fazemos? Mais uma vez, hoje, percebi que há pessoas que tentam eliminar a dor dentro de si através dos braços... mas será que ao abrir o braço a dor realmente se escapa pelos cortes que se fizeram? Quisera eu que toda a dor se esvai-se com o sangue que jorra de um braço mutilado... mas o sangue apenas faz sobressair a sensação de impotência  perante aquilo que nos atormenta, não sabemos se a dor e angústia um dia irão realmente acabar. Será que a própria morte conseguiria apagar a dor? ...

segunda-feira, 18 de abril de 2011

da mãe para a sua filha amada...

Olá minha filha amadaJ
Tenho uma vontade enorme de estar todos os dias ao teu lado, mas tu cresceste e eu tenho de te deixar caminhar por ti própria. Era muito mais fácil quando tu eras pequena, em que te pegava pela mão e te levava pelo caminho que eu considerava ser o melhor para ti, agora custa-me deixar-te só, mas sei que é o melhor para ti, no entanto o meu coração está despedaçado porque já não és uma menina pequenina que eu colocava no meu peito e todas as dores passavam. Como eu queria poder fazer isso contigo todos os dias das nossas vidas, mas não é mais possível porque tens o teu próprio caminho a percorrer, a tua própria vida para viver, o teu destino para traçar e sei que fazer o contrário seria um enorme egoísmo da minha parte. A mãe, que há em mim, quer que tu fiques sempre juntinho a mim, o ser humano que eu sou diz-me que é preciso que eu te deixe livre para que aprendas a voar. Se soubesses o quanto me custa saber que já não és a menininha que eu embalava e protegia de tudo e todos! Quem me dera que o tempo tivesse parado para que tu jamais tivesses conhecido o sofrimento e a dor. Quero a tua felicidade mais do que a minha, mas sei que não posso sofrer por ti, ah! Se eu pudesse retirar do teu coração todas as dúvidas, mágoas desilusões e deixar-te só com a parte boa da vida, fá-lo-ia de bom grado. Ver-te sofrer ou pensar que te pode faltar algo desfaz o meu coração em mil pedacinhos, não sei se fui, ou se sou a melhor mãe, se tomei as decisões mais acertadas, mas de uma coisa eu tenho a certeza, o meu amor por ti não tem limites nem medida. Darei o meu melhor para que sejas feliz. Estarei sempre do teu lado, podes sempre voltar para o meu coração e para os meus braços porque estarão sempre abertos para ti.
Amo-te vida da minha vida

terça-feira, 1 de março de 2011

O último sopro...


Esta imagem, sempre me tocou profundamente e sempre que olho para ela desejo que aquele nobre homem tenha conseguido insuflar vida naquele corpo tão maltratado, tão desprovido de força anímica…
Hoje sinto que necessito que alguém faça o mesmo comigo, pois não foi uma maldita guerra que me deixou sem ânimo, mas uma batalha que travo diariamente comigo na convivência com os outros. O ar de superioridade injustificada de alguns deixa-me sem vontade de me abrir ao mundo e aos outros, embora eu me considere muitas vezes melhor do que os outros e pense muitas vezes que o inferno também são os outros. No entanto ainda não me conseguiram convencer que eu tenho de pôr de lado a confiança que eu tenho em mim para aparecer frágil, despojada, despida diante dos outros. Somente diante de Deus posso aparecer assim, pois da minha fragilidade Ele crescerá, do meu despojamento Ele será amor que cura, despida de tudo o que tenho e sou Deus dar-me-á um coração novo… Amén

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

A profundidade da tristeza...



Como pode a tristeza provocar tanta dor, nunca pensei que estar triste era estar dorida… mas hoje ela se abateu sobre mim em forma de dor, como nunca a tinha experimentado. Porque será que a nossa valorização pessoal depende tanto dos outros? Falta de auto-estima, de segurança, de amor a nós mesmos, porque aqueles que amamos, nos têm por certos e seguros e não se preocupam e nos cativar continuamente como na história do principezinho.

- Olá, bom dia! - Respondeu delicadamente o principezinho...

-Anda brincar comigo - pediu o principezinho. Estou tão triste...

- Não posso ir brincar contigo - disse a raposa. - Ainda ninguém me cativou...

Andas à procura de galinhas? (diz a raposa)

Não... Ando á procura de amigos. O que é que "cativar" quer dizer?

... Quer dizer que se está ligado a alguém, que se criaram laços com alguém.

Laços?

Sim, laços - disse a raposa. - ...

Eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo e eu serei para ti, única no mundo...

(raposa) Tenho uma vida terrivelmente monótona...

Mas se tu me cativares, a minha vida fica cheia se Sol.

Estás a ver, ali adiante, aqueles campos de trigo? ... não me fazem lembrar de nada. É uma triste coisa! Mas os teus cabelos são da cor do ouro. Então quando eu estiver cativada por ti, vai ser maravilhoso! Como o trigo é dourado, há-de fazer-me lembrar de ti...

- Só conhecemos as coisas que cativamos - disse a raposa. - Os homens, agora já não tem tempo para conhecer nada. Compram as coisas feitas nos vendedores. Mas como não há vendedores de amigos, os homens já não tem amigos. Se queres um amigo, cativa-me!

E o que é preciso fazer? - Perguntou o principezinho.

- É preciso ter muita paciência. Primeiro, sentas-te um bocadinho afastado de mim, assim em cima da relva. Eu olho para ti pelo canto do olho e tu não dizes nada . A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas todos os dias te podes sentar mais perto...

Se vieres sempre às quatro horas, às três já eu começo a ser feliz...

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Sofremos... porque não somos capazes e deixar livre os que amamos...

O sofrimento é parte integrante da nossa vida e parte dele advém do facto de não conseguirmos deixar livres aqueles que amamos.
Cada ser humano ao nascer escolheu o seu próprio destino e tem de o viver. Mas porque será que não conseguimos deixar que os outros sofram para cumprirem o seu próprio destino tal como o projectaram?
Eu acredito que a vida não é um fim e por isso novas vidas virão depois desta e de outras e cada vez mais eu me convenço que nós, seres humanos somos de tal forma egoístas que não deixamos que os outros sejam capazes de seguir o seu caminho, principalmente os filhos que consideramos que nunca deveriam crescer e viver eternamente debaixo da nossa protecção.
Dói tanto ver um filho sofrer e não poder trocar de lugar com ele, mas tenho de me convencer que cada um vive apenas a sua vida, para se poder realizar plenamente.
Isso faz com que eles por vezes se sintam sufocados pelos nossos cuidados e atenções, esquecemo-nos que também já fomos filhos e que aquilo que mais queríamos era ser livres, até de bater com a cabeça tantas vezes na mesma parede e quando estávamos cansados trocávamos de parede.
Hoje ao acordar o meu pensamento foi: “Senhor ajuda-me, a deixar livres aqueles que mais amo”, espero ser bem-sucedida, com a Tua ajuda, Senhor meu Deus.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

O lugar onde mora o sentimento...

Por vezes é tão difícil suportar certas dores que pensamos ser derivadas do amor, mas não, derivam do egoísmo, da impaciência, da falta de compreensão pelos sentimentos e pelas razões do outro... eu quero, desejo e exijo ser o centro do mundo, do universo infinito, eu, um nada, no meio desta imensidão. No entanto sei que sou peça fundamental sem a qual tudo o resto não faria sentido, tal como tu e todos os outros seres humanos… Dou comigo a pensar como é difícil amar e ser amado, pois nunca chega para preencher o vazio e a solidão que o mundo deixa em nosso redor. Hoje senti que não fazíamos sentido um para o outro, tu cansado e eu com falta de atenção e de auto-estima. Perdoa-me se às vezes é difícil aceitar a pessoa que és e amar-te por isso. Certos dias é tudo tão desprovido de sentido que só gostaria de ir para um lugar onde desligassem os cérebros e então tudo estaria bem…

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Amizade...

Hoje um pensamento assolou a minha mente… Amizade. Em que consiste esta palavra que usamos de forma tão banal para nos referimos às nossas relações? Dei-me conta de que a palavra amizade está gasta e o seu sentido destorcido, começo a ter medo de a usar, pois não posso admitir que meu amigo seja aquela pessoa que passa o tempo a dizer-me como devo agir e o que devo mudar na minha relação para com os outros. Amigo é aquela pessoa que nos ama independentemente dos nossos defeitos, que nos aceita como somos, mas que suavemente pelo seu exemplo e pela sua postura nos vai mostrando como agir.  São esses os amigos que eu quero do meu lado para todo o sempre. Felizmente, tenho alguns amigos assim. A eles, o meu muito obrigada por me terem ajudado a crescer a tornar-me na pessoa que sou hoje. Embora tenha um longo caminho a percorrer. .. Para mim os amigos são anjos que Deus colocou na nossa vida para que ela seja mais feliz e mais bela.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Um exemplo de amor e doação aos outros... que beleza neste gesto tão nobre

Quantas vezes nos esqueçemos da importância destas palavras: "Eu te Amo", quantas vezes o medo, o cansaço, a distração... nos impedem de fazer os outros felizes, sim porque se nos sentirmos amados tudo é mais belo, menos doloroso e mais fácil de suportar. A todos os que fazem parte da minha vida e que me ajudam a ser todos os dias um pouco melhor e mais humana eu digo: "Eu te Amo".

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

O poder de um abraço...

Porque será que tantas vezes complicamos as coisas e os relacionamentos (sejam eles amorosos, de amizade...)? Porque temos de pedir um abraço quando realmente necessitamos dele? Muitas vezes basta um simples abraço e o medo, a frustração, a dor, as incertezas...tudo desaparece para dar lugar à paz de espírito porque tanto ansiávamos. No entanto não servem todos os abraços, não é qualquer pessoa que nos consegue dar o tal abraço ... nem todas as pessoas têm a capacidade de nos entender sem palavras, nem todas as pessoas olham para dentro da nossa alma e conseguem vê-la tal e qual ela é e mesmo assim continuam a querer dar-nos o tal abraço.
Os abraços são como tesouros que guardamos para sempre, à espera de que mais alguém nos consiga abraçar daquela forma... como anseio por um desses abraços que me tire este cansaço...Um abraço só se pode sentir, não se pode explicar.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

um poema de Fé e de Esperança no Deus que nos ama...

pegadas na areia

Uma noite eu tive um sonho...
Sonhei que estava andando na praia com o Senhor
e através do Céu, passavam cenas da minha vida.
Para cada cena que se passava, percebi que eram deixados
dois pares de pegadas na areia;
Um era meu e o outro do Senhor.
Quando a última cena da minha vida passou
Diante de nós, olhei para trás, para as pegadas
Na areia e notei que muitas vezes, no caminho da
Minha vida havia apenas um par de pegadas na areia.
Notei também, que isso aconteceu nos momentos
Mais difíceis e angustiosos do meu viver.
Isso entristeceu-me deveras, e perguntei
Então ao Senhor.
"- Senhor, Tu me disseste que, uma vez
que eu resolvi seguir-Te, Tu andarias sempre
comigo, todo o caminho mas, notei que
durante as maiores atribulações do meu viver
havia na areia dos caminhos da vida,
apenas um par de pegadas. Não compreendo
porque nas horas que mais necessitava de Ti,
Tu me deixastes."
O Senhor me respondeu:
"- Meu precioso filho. Eu te amo e
jamais te deixaria nas horas da tua prova
e do teu sofrimento.
Quando vistes na areia, apenas um par
de pegadas, foi exactamente aí que EU,
nos braços...Te carreguei."
                                              Margaret Fisback

domingo, 9 de janeiro de 2011

amo as coisas belas...


hoje acordei com o desejo de que as coisas feias e gastas desapareçam do mundo... quisera eu ter o poder de fazer desaparecer tudo aquilo que transforma este mundo num lugar terrível e feio, por isso esta música que resgata a beleza que ainda existe...

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

um poema pleno de sentido...

Cântico negro
José Régio

"Vem por aqui" — dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
A minha glória é esta:
Criar desumanidades!
Não acompanhar ninguém.
— Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe
Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...
Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...
Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.

Como, pois, sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...

Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tetos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém!
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou,
É uma onda que se alevantou,
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí!